Fluência e fixidez

FLUÊNCIA

*

Água seixos fluxo

Frincha fresta desvão

Arrulhos de rio, arpejos

Serpente que se quebra em arroios

E se alarga e remanseia

E outra vez se estreita e flui

Para ser virgem de novo.

O agora passou, o aqui está lá

E segue minha alma tão mínima

Lamparina levada nas ondas.

*

Habitam em mim dois irmãos inimigos:

Um é o que flui e o que frui

E se adianta à corredeira

O outro é o que detém e retém

E se acama nos baixios.

Mercúrio e Sal são seus nomes.

Se exaltasse um e descartasse outro

Não seria então incompleto?

No Enxofre a alma sábia os integra

E nutre sua chama vida após vida.

*

Aprende com isto pensamento rebelde!

*

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: