Tirumular

Tirumular 2

Estatueta de ouro, representando o siddha (iogue perfeito) Tirumular.

 *

O Tirumandiram (literalmente, “Versos Sagrados”), escrito pelo siddha Tirumular em tâmil, provavelmente entre os séculos IV e VI d.C., é o texto mais antigo e mais importante de yoga do sul da Índia. É constituído por pouco mais de três mil estrofes de quatro versos, rimados e metrificados, que tratam de assuntos diversos, como teísmo monista, misticismo, yoga, tantra, mantra, yantra etc.

 *

Como outros textos atribuídos aos siddhas, o Tirumandiram foi escrito no que se convencionou chamar de “linguagem crepuscular”. Trata-se de uma linguagem deliberadamente obscura e cifrada, que necessita de certas chaves interpretativas para ser minimamente decifrada e compreendida.

*

Tirumular chama seu ensinamento de Shiva Yoga. É o método pelo qual o Jiva (a Alma) se identifica com Shiva (a Realidade).

 *

Segundo as palavras do professor T.N. Ganapathy, coordenador da monumental tradução inglesa do Tirumandiram, “o Tirumandiram é uma obra que trata de como viver uma vida divina no meio da vida mundana; ele realiza o significado da palavra ‘tantra’, a ‘teia’ que une as dimensões espiritual e material da vida; e expressa o fio da unidade que existe por trás das muitas diferenças de tempo, lugar, idioma, casta, religião, superior e inferior, felicidade e miséria, riqueza e pobreza”.

 *

Tirumular é computado entre os 63 Nayanmars (Santos Shivaístas) e os 18 Siddhas (Iogues Perfeitos). Diz a tradição que, depois de ser iniciado no Monte Kailasa pelo próprio Shiva (manifesto na forma humana do Adi Yogi, o Iogue Primordial), ele teria viajado para o sul da Índia, onde viveu a experiência de transmigrar seus corpos sutis para o corpo físico de um tâmil morto. Em Chidambaram, alcançou o mais elevado estágio de Samadhi, com a transmutação alquímica do novo corpo e a conquista da imortalidade.

 *

Boganathar, o guru de Bábaji, afirmou que, em uma de suas muitas viagens físicas ou astrais, teve a oportunidade de contemplar Tirumular em Samadhi. E que não tinha palavras para descrever a glória de luz e fragrâncias que emanava de seu corpo.

*

Nesta estrofe, Tirumular resumiu o objetivo do Tirumandiram:

*

Eu celebro e exalto o refúgio que é gnose,

*

Os pés salvíficos do Senhor, mestre de minha alma.

*

Olhe e veja! Eu proclamo Shiva Yoga!

*

E saúdo a Letra Singular do Nome do Senhor.

*

Nota explicativa: a expressão “Letra Singular” refere-se à sílaba AUM, que se exterioriza como OM. AUM (o “Verbo Primordial” ou “Som Primordial”) é considerado a primeira manifestação substantiva de Deus. Não a “Voz de Deus”, como às vezes se diz. Mas o próprio Deus, manifestando-se como movimento, oscilação ou vibração, extrafísicos ou metafísicos. Também não o som, na acepção material da palavra. Mas o protossom, que, somente após muitas “veladuras”, poderá ser apreendido como som no plano sensível.

 

Anúncios
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: