Confissão

Fernando Pessoa

*

O poeta é um fingidor.

Eu, Álvaro, fingi ser Pessoa,

Que, dentre tantas pessoas, fingiu ser eu —

Como se não lhe bastasse a maçada

De ser eu mesmo.

*

Anúncios
Post anterior
Post seguinte
Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: